quinta-feira, 31 de maio de 2012

O Dia em Que Fiquei Bem Verde


O Grupo de Voluntários do Greenpeace Porto Alegre, mais uma vez, se fez presente no Parque Redenção para outro Ponto Verde. Desta vez, foi uma ação especial visto que participaram do evento os novos voluntários admitidos no grupo.


Foi uma prova de fogo, porque vestir fantasia de motosserra e se dispor a dar explicações sobre a importância do meio ambiente para pessoas que circulam entre as sombras de belas árvores não é tarefa para qualquer um.


Devemos levar em conta também que é preciso convencer estas pessoas a assinarem nossas petições a favor da criação da Lei do Desmatamento Zero e contra as Usinas Nucleares.  


A nova gurizada verde desempenhou suas atividades com maestria, determinação e, acima de tudo, com grande responsabilidade e amor à causa. O Grupo de Voluntários do Greenpeace Porto Alegre agora está reforçado com esta nova turma de inconformados e com mais disposição de luta em favor do meio ambiente.


Mas vamos deixar que o jovem Reginaldo nos conte sua experiência como voluntário do Greenpeace, e a participação no seu primeiro Ponto Verde. 


#################################################################################


Ponto Verde com a Nova Gurizada Inconformada


Domingo, 27 de maio de 2012.

Parque da Redenção.  

O mais efervescente parque da cidade. A cidade recém acordara. Nós, novos voluntários e os nossos anfitriões do Greenpeace, Amanda, Aline e Alan, no ponto verde. Algo novo para mim.

Montamos a barraca da instituição. Parecíamos velhos conhecidos. A acolhida que o pessoal do Greenpeace nos deu foi fundamental para a instalação daquele ambiente tão positivo. Recebemos orientações sobre nossa atividade. Frente à barraca foram expostos os equipamentos solares que tanto chamariam a atenção das pessoas: fogão, forno, aquecedor de água, carregador de celular.
Cozinha Solar, mais uma vez, atraindo público

Recebemos explicações sobre o “modus operandi. Cada vez mais gente no parque. As pessoas começaram a chegar. Os veteranos tomavam a iniciativa recepcionando-as. Nós, os novos, ficávamos ouvindo as explicações tentando absorver aquele conhecimento. 

Foram distribuídos coletes, pranchetas e abaixo-assinados contra energia nuclear e desmatamento. À medida que as pessoas chegavam,  após explicações, eram convidadas a assiná-los.

Explicando a Geração Solar 
Entre nós, o clima psicológico era de camaradagem. Com relação às demais pessoas, era de respeito e gentileza. Permanecemos na barraca por algum tempo, até que um dos coordenadores sugeriu que saíssemos a caminhar em grupo para divulgar nossa mensagem. 

De súbito apareceu uma fantasia, retirada de um inteligente banco/baú. Era do homem motosserra. Ficou ali um tempo. Em princípio ninguém se prontificou a usá-la, apesar do convite recebido. Creio que ninguém queria ser o homem motosserra.

Conversamos sobre a fantasia.  Falamos sobre “anti-motosserra”.  Amanda colocou uma barra transversal sobre o logotipo da motosserra. Perfeito.  Ali estava o homem anti-motoserra. Seria eu. Vesti a fantasia. Nada mais chamativo: vermelha, amarela e verde.  Peruca, máscara, boca imensa.... 

Para ser ativista , tem que ser artista! 
Tiramos fotos e saímos caminhando pelo parque. Levando cartazes contra o desmatamento, chamávamos bastante a atenção. As crianças em especial se encantavam com a fantasia. Junto das crianças vinham os pais. Assim, muitos diálogos se estabeleceram. Muitas pessoas se dispuseram a assinar os formulários de propostas populares para serem encaminhados ao Congresso Nacional. 





PEC do Desmatamento Zero
Inicialmente os veteranos, posteriormente os novatos, estimulados pelos primeiros, conversavam com as pessoas e falavam do nosso trabalho. A receptividade sempre era boa. Assim, ficamos um bom tempo. Eu chamando a atenção com o personagem, estabelecendo um primeiro contato e os colegas dando suporte e aprofundando a tarefa. Posteriormente retornamos para a barraca e ficamos recebendo as pessoas, prosseguindo com o trabalho. 

PEC Contra Energia Nuclear




VEJA AQUI GALERIA DE FOTOS



Foi um belo dia em todos os sentidos.  A sensação de fazer parte desta causa é algo maravilhoso.








sexta-feira, 25 de maio de 2012

Giro da Semana - O Meio Ambiente em Pauta (8ª Edição)

Esta semana foi marcada pela campanha "Veta Tudo, Dilma" que tomou conta das ruas de todo o Brasil. Infelizmente a presidente não entendeu o recado e vetou somente 12 artigos do código florestal aprovado na Câmara dos Deputados. 

Agora só nos resta lutar pela lei do Desmatamento Zero para salvar nossas florestas. Que a presidente Dilma e os ruralistas estejam certos que a luta continua e que não iremos desistir dos nossos ideais de um Brasil mais verde e sustentável. 

Veja abaixo as notícias que circularam na internet esta semana.


Boa leitura! 


4 curiosidades sobre o faxinaço “verde” na nuvem da Apple
São Paulo – A Apple decidiu fazer um faxinaço na sua nuvem. Na última quinta-feira, a Maçã anunciou que seu principal centro de dados nos EUA, localizado em Maiden, na Carolina do Norte, será totalmente alimentado por fontes de energia limpa até o final deste ano. A promessa acontece menos de um mês depois da gigante ter figurado, com um desempenho vexatório, em um ranking da ONG ambientalista Greenpeace que avaliou o uso de energia suja pelas empresas de TILeia Mais >


É Fan-tás-ti-co
O navio Rainbow Warrior navegando em expedição pela Amazônia,
 que teve parte - a parada no Amapá - registrada pela reportagem do Fantástico. (© Marizilda Cruppe / Greenpeace)
O navio Rainbow Warrior é mesmo fantástico. De saltar aos olhos, a embarcação mais sustentável da frota Greenpeace esteve no Amapá para registrar as histórias do lado amazônico que prospera. Para mostrar ao maior número possível de espectadores essa outra Amazônia, levamos conosco o Fantástico, programa de maior audiência da TV nacional. Na noite deste domingo último os tripulantes e suas histórias adentraram os lares de 50 milhões de brasileiros. Leia Mais >

Uma 'casa' nas alturas
“Aqui é minha casa quatro horas por dia”. As palavras foram ditas por Vinicius de Oliveira Melo, 35 anos, bem longe de casa. Pendurado a sete metros de altura, ele é um dos ativistas que estão se revezando para impedir a saída do navio Clipper Hope, próximo a São Luis do Maranhão. Leia Mais >

Onde a Lei Áurea ainda não chegou

Ativistas do Greenpeace estão há uma semana fazendo um protesto pacífico no navio Clipper Hope, em São Luós (MA) com o objetivo de apontar as irregularidades da cadeia produtiva do ferro gusa, matéria prima do aço. Dentre elas, constam infrações como o uso de mão de obra análoga à escravidão. Muitas pessoas têm sido recrutadas para produzir carvão vegetal sem a mínima segurança e esse material acaba alimentando as siderúrgicas da região de Açailândia, no Maranhão. Leia Mais >



Relator do novo Código Florestal participa de sessão acalorada na AL-RS

Após apresentação, Piau ouviu as críticas de ambientalistas
  Foto: Marcelo Bertani/Ag. AL
“Respeito as ONGs que estão aqui presentes, mas não respeito a WWF e o Greenpeace. Sou um deputado brasileiro, não aceito cobrança de gente da Europa que não tem moral para fazer isto”, afirmou o deputado federal, da bancada ruralista, Luis Carlos Heinze (PP-RS), o primeiro a se manifestar na reunião da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa gaúcha, que contou com a presença do relator do novo Código Florestal, deputado Paulo Piau (PMDB-MG), realizada na tarde desta segunda (21). O Espaço Adão Pretto, uma pequena sala no Parlamento estadual, estava dividido. De um lado da bancada central em que estavam os parlamentares, ficaram apoiadores do novo texto, como representantes de sindicatos rurais. De outro, ambientalistas, com cartazes, camisetas e adesivos contra as mudanças no Código Florestal. A resposta a Heinze não tardou a vir deste lado da sala.
– Sou do Greenpeace e sou brasileiro! – esbravejou um jovem que segurava um cartaz pedindo “Veta tudo, Dilma”.
– Cala a boca! – respondeu alguém do outro lado da sala. Leia Mais >

Presidente Dilma vetou 12 artigos do novo Código Florestal

A presidente Dilma Rousseff vetou 12 artigos do novo Código Florestal aprovado no Congresso, informaram nesta sexta-feira (25) os ministros da Advocacia Geral da União (AGU), do Meio Ambiente, da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário. O objetivo dos vetos é beneficiar o pequeno produtor e favorecer a preservação ambiental, informaram os ministros. Leia Mais >

Veja o que foi notícia nos blogs do G8 esta semana (Grupo de Voluntários do Greenpeace no Brasil):


Green Recife-Pernambuco

A Imagem da Semana: 
Em uma semana decisiva para as florestas, a imagem que ficou na retina e no desejo de todos:

A Frase da Semana:
 “Nossas terras estão sendo destruídas por madeireiros e invasores, as matas estão acabando, o que nós vamos comer? Nos não somos compradores de comida. Dependemos da mata para sobreviver."   
Cacique Tatu´xia Awa na audiência publica da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão. Leia a Matéria >

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Novidade no Blog


Nestes tempos de globalização, nada mais natural que este blog também entre nesta corrente de se fazer entender por um público cada vez mais internacional. 

Recebemos muitas visitas de leitores de diversos países e era pertinente que expressássemos corretamente nossos pontos de vistas em outros idiomas.

Igualmente interessante seria divulgar nossas campanhas - em favor de um planeta mais verde e sustentável - para a audiência de leitores em outros países.

Com esta filosofia de trabalho e pela valorização de nosso público leitor internacional, a partir de hoje nosso blog  também poderá ser lido em  Inglês e Espanhol. 

Boa leitura! 

Ponto Verde Dia 27 de Maio de 2012




Alô, Alô, Gurizada Verde de Porto Alegre e Região Metropolitana:

No próximo Domingo (27/05) o Grupo de voluntários do Green Porto Alegre estará em mais um Ponto Verde no parque Redenção próximo ao Arco do Triunfo. 

Traga a família, os amigos e venha conversar com os novos voluntários selecionados que estarão fazendo seu primeiro Ponto Verde. O tema será Energia Solar e estaremos demonstrando a viabilidade da Cozinha Solar. 

Na oportunidade, os voluntários estarão colhendo assinaturas para a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) para a criação da lei do Desmatamento Zero. 

Local: Redenção - Próximo ao Arco do Triunfo 
Dia: 27 de Maio 2012 (Domingo) 
Hora: Das 9h às 17h
Tema: Cozinha Solar e PEC do Desmatamento Zero




terça-feira, 22 de maio de 2012

Os Novos Guerreiros do Arco-Íris


A nova gurizada verde inconformada
Texto: Valdeci C. de Souza 

Em junho o Brasil será o centro das atenções mundiais em razão da realização da Ri0+20 (Conferência das Nações Unidas Sobre Desenvolvimento Sustentável) e a imprensa em geral já vêm dando grande destaque aos acontecimentos que se desenrolam em nosso país nas questões ambientais e ecológicas.

Toda esta atenção que o Brasil vem recebendo da mídia nacional e internacional tem um propósito e um significado: Entender o paradoxo de uma nação que pretende ser a líder na defesa do meio ambiente, patrocinar esta importante conferência e, em sentido contrário, tenha permitido a aprovação do nefasto Código Florestal.

Como é possível defender interesses tão antagônicos entre si (defesa do meio ambiente com o novo Código Florestal) é o que todos se questionam. O momento é propício para estas e outras reflexões e, com certeza, estarão no centro das discussões neste evento de suma importância para o futuro das novas gerações. Durante a Rio+20 talvez possamos encontrar respostas e soluções para todas estas questões e sairmos deste impasse.

Além desta contradição, outro assunto que tem despertado interesse de todos é a presença, em nosso país, do novo navio do Greenpeace, o Rainbow Warrior III que está navegando em nossas águas. O Rainbow Warrior III, por sua importância estratégica e de luta foi, inclusive, matéria no programa Fantástico da Rede Globo no último domingo.

Com todas estas atividades em curso atualmente, o Greenpeace tem mostrado sua força de atuação e persuasão e realizado ações concretas para estar presente em todas as frentes em defesa de seus ideais pacifistas e ambientais.

Quem acompanha o noticiário sabe que o trabalho do Greenpeace está rendendo grandes matérias nos jornais e nas redes de televisões pelas vitórias que tem conseguido através de suas ações. Há mais de uma semana está impedindo que o navio Clipper Hope seja carregado de ferro gusa com voluntários presos em sua âncora. O ferro gusa leva consigo um rastro de destruição da Floresta Amazônica, trabalho escravo e invasão de terras indígenas. 

A campanha do “Desmatamento Zero” está angariando milhares e milhares de assinaturas através da internet e nos Pontos Verdes espalhados pelo Brasil inteiro. Manifestações com o slogan “Veta, Dilma” circulam pelo país inteiro com seus voluntários e ciberativistas conscientizando a todos da importância do veto da presidente Dilma ao Código Florestal.

Com os olhos do mundo voltados para nós, seria natural que o Grupo de Voluntários do Greenpeace Porto Alegre também tomasse suas providências para atuar nestas frentes de trabalho. Para ampliar ainda mais seu campo de ação, abriu novas vagas para pessoas dispostas a lutar, pacificamente, pelo nosso ideal de um mundo mais verde e sustentável.  

Treinamento dos novos guerreiros do Arco-Íris 
O Greenpeace de Porto Alegre está ampliando sua capacidade de trabalho e se preparando para realizar ações mais efetivas de conscientização da população. Para este fim, está realizando Pontos Verdes pela cidade para angariar assinaturas para a lei do Desmatamento Zero, realizando eventos para demonstrar a viabilidade da energia solar e campanha para a Proposta de Emenda Constitucional contra as Usinas Nucleares. Além é claro, se fazer representar, através de seus voluntários, na Rio+20.

Para atuar em todas as frentes, o grupo do Greenpeace Porto Alegre, acaba de receber a nova turma de voluntários que irão somar esforços nesta luta pacífica. A Coordenadora Aline realizou, na última sexta-feira, à noite, a seleção dos novos integrantes. O treinamento ocorreu no Sábado, no período da tarde, na Usina do Gasômetro. Os voluntários Alan e Amanda auxiliaram a coordenadora na seleção e treinamento dos novos guerreiros do arco-íris.

Na oportunidade, os novos integrantes do grupo conheceram a filosofia de trabalho do Greenpeace e suas metas de atuação em Porto Alegre e no Brasil. Receberam orientação de como proceder e realizar “pontos verdes” e aprenderam sobre as campanhas atualmente em atividades no Brasil e em Porto Alegre. Todos estavam atentos à palestra proferida e mostraram-se dispostos a entrarem para o voluntariado com determinação e entusiasmo.

Todos atentos à palestra da Coordenadora
O Grupo de Voluntários do Greenpeace Porto Alegre recebe a todos de braços abertos e só tem a prometer muito trabalho com um único objetivo: Tornar o Brasil um país mais verde e sustentável. A luta é árdua e constante e, com os novos "inconformados" a batalha será mais fácil e abrangente.




Aplausos aos novos guerreiros do arco-íris:

Eduardo Lunardon
Bárbara Pelizzaro
Tamires Garcia
André Ruiz
Reginaldo Porto Alegre
Susana Franco
Paloma Lencina
Matheus Dutra
Roger Leite
Maísa Casagrande

Bem-vindos, gurizada verde!! 

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Giro da Semana - O Meio Ambiente em Pauta (7ª Edição)

A semana foi marcada pela ação do Greenpeace a 20 quilômetros da costa de São Luís/MA. Ativistas escalaram e bloquearam a âncora do navio "Clipper Hope" que estava pronto para receber toneladas de ferro gusa que seriam levadas aos Estados Unidos. 

Este protesto foi amplamente divulgado na imprensa brasileira e internacional e, consequentemente, é o assunto predominante neste giro da semana. 

O Grupo de Voluntários de Porto Alegre presta sua homenagem aos valorosos ativistas e amigos que participaram desta ação e parabeniza a todos pela coragem, determinação e, acima de tudo, pelo ideal de luta (pacífica) em favor das nossas florestas. 

Parabéns, guerreiros! 

Leia abaixo as notícias sobre meio ambiente que circularam nas redes sociais e na internet esta semana:


Boa leitura! 

Floresta de carvão e violência

SÃO LUÍS, 14 DE MAIO DE 2012 – Desmatamento, invasão de terras indígenas e trabalho escravo. Foi contra esse cenário que o Greenpeace protestou hoje: a 20 quilômetros da costa de São Luís (MA), ativistas escalaram e bloquearam a âncora de um navio que estava prestes a receber toneladas de ferro gusa que seriam levadas aos Estados Unidos, com um banner escrito “Dilma, desliga a motosserra”. Largamente exportado para aquele país, onde vira aço para a fabricação de carros, o ferro gusa carrega destruição e violência em sua cadeia de produção. As evidências estão no relatório “Carvoaria Amazônia”, divulgado hoje pelo Greenpeace. Leia Mais >

Facas, batatas e mosquetão

Já faz quase 48 horas que o cozinheiro do Rainbow Warrior está com trabalho dobrado: sua assistente de cozinha, a bióloga Leonor Cristina Souza, o deixou na mão. Mas foi por uma boa causa. Ela é uma dos  sete ativistas que estão se revezando no bloqueio do navio Clipper Hope, que iria para o Porto de Itaqui, em São Luis (MA),  receber 31 mil toneladas de ferro gusa para exportar aos EUA. O produto, como denunciamos nesta segunda, tem sido produzido às custas da Amazônia.Leia Mais >

Repercussão no Congresso
Presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, o deputado Sarney Filho (PV-MA) pegou embalo na ação que o Greenpeace faz no Maranhão para pedir esclarecimentos do Ministério do Meio Ambiente e do Ministério da Justiça sobre nossa denúncia. Em um pronunciamento, ele disse que vai convocar uma audiência pública para discutir os dados de que a produção de ferro gusa na Amazônia está deixando um rastro de desmatamento, trabalho escravo e desrespeito a povos indígenas. Leia Mais >

O Diretor-Ativista
Na parede do Rainbow Warrior, o relógio apontou: já fazia quase 48 horas que os ativistas estavam amarrados à âncora do navio Clipper Hope, impedindo-o de ser carregado com ferro gusa sujo por desmatamento e trabalho escravo. Paulo olhou pela janela e decidiu: “Eu vou lá”.
O senso comum recomenda que alguém na casa dos 60 anos e diretor de uma organização não faça muitas estrepolias físicas. Mas no Greenpeace, o senso comum não tem lá muitos adeptos. Às 9h30 da manhã de quarta-feira, nosso diretor da campanha Amazônia, Paulo Adario, já estava dentro de um macacão e cheio de parafernálias. Às 10h30, ele já estava pendurado na âncora do navio. Leia Mais >

Câmara aprova MP que altera limite de oito áreas ambientais

O Plenário aprovou nesta terça-feira (15) a Medida Provisória 558/12, que altera os limites de oito unidades federais de conservação nas regiões Norte e Centro-Oeste para resolver problemas agrários e viabilizar legalmente usinas hidrelétricas que inundarão partes das reservas. A MP foi aprovada na forma do projeto de lei de conversão do relator, deputado Zé Geraldo (PT-PA), e será votada ainda pelo Senado. Leia Mais >

Ativista protesta em frente a revendedora da Apple em São Paulo
(©Greenpeace/Alexandre Cappi)
A Apple nos ouviu
A campanha “Limpe nossa nuvem” conseguiu uma grande vitória: a Apple anunciou ontem que planeja usar até o fim do ano somente energia renovável no seu principal datacenter dos Estados Unidos e investir em eficiência energética. A empresa anunciou a construção de duas grandes centrais de energia solar na região de Maiden, no estado da Carolina do Norte. 

Poluição doméstica: saiba o que é e como evitar, artigo de Frederico Lobo
Há alguns anos a Agência de Proteção Ambiental Americana (EPA) salientou que várias evidências científicas indicam que o ar interior (ar dentro de casa ou ar indoor) pode muitas vezes, ser mais poluído do que o ar exterior, mesmo nas cidades maiores e mais industrializadas (vide http://www.epa.gov/iaq/pubs/index.html). Outros estudos indicam que as pessoas gastam cerca de 90% de seu tempo em locais fechados. Portanto, para inúmeras pessoas, os riscos de saúde decorrentes da poluição indoor, pode ser muito maior que o da poluição ao ar livre. Leia Mais >

Importância da biodiversidade para a saúde humana: uma perspectiva ecológica, artigo de Cleber J. R. Alho

A biodiversidade brasileira é reconhecida como uma das mais expressivas da biosfera terrestre e tem um papel importante no bem-estar e na saúde do homem, ao prover produtos básicos e serviços ecossistêmicos. Os produtos ou bens oriundos do sistema natural incluem fármacos, alimentos (como pesca), madeira e muitos outros. Os sistemas naturais também proveem serviços que dão suporte à vida, tais como purificação do ar e da água, regulação do clima, hábitats reprodutivos e alimentares para extrativismo, além da manutenção de organismos responsáveis pela ciclagem de nutrientes do solo, tornando-os disponíveis para absorção pelas plantas. Alterações ambientais estão afetando negativamente os ecossistemas naturais, com acelerada perda da biodiversidade, por meio da modificação e perda de hábitats naturais e pela ocupação não sustentável do solo, com propagação de patógenos e vetores de doenças. Leia Mais >
Área de floresta queimada dentro da Flona de Itaituba 2,
unidade de conservação que terá seu limite reduzido caso a
MP 558 seja aprovada. (© Greenpeace / Daniel Beltrá)
Governo do legítimo retrocesso
O governo Dilma Rousseff protagoniza um dos piores desempenhos na área ambiental que o Brasil já viveu em anos. A presidente não criou nenhuma unidade de conservação e ainda conseguiu reduzir algumas das que já existem. Nesta terça-feira, a manobra presidencial para aprovar a Medida Provisória nº 558, que altera o limite de oito unidades federais na Amazônia, conquistou o aval da Câmara dos Deputados. Leia Mais >


Participe do Desafio de ideias sustentáveis

Na semana que vem, o navio Rainbow Warrior estará em Recife com a missão de engajar e informar os tomadores de decisão sobre as nossas campanhas de Amazônia e Energia. O emprego de energias renováveis como eólica, solar e biomassa, além de reduzirem emissões de gases de efeito estufa, trazem contribuições sociais e econômicas. Teremos várias atividades em Recife e uma delas é o Desafio Porto Digital para Sustentabilidade das Cidades. Leia Mais >

Veja o que foi notícia nos blogs do G8 esta semana (Grupo de Voluntários do Greenpeace no Brasil):


Green Rio 
Leia o artigo > Guerreiros em Ação


Green Manaus
Leia o artigo > Solo Sagrado de Paz

A Imagem e o Vídeo da Semana
Ativistas do Greenpeace bloqueiam embarcação que seguia para o Porto de Itaqui, em São Luis do Maranhão. Pendurados na corrente da âncora do navio Clipper Hope, os ativistas seguram banner com a mensagem “Dilma, desliga a motoserra” e "Amazon Crime". O bloqueio pretende evitar que o navio leve uma carga de ferro gusa para os Estados Unidos onde seria transformado em aço para ser usado nas montadoras de carros americanas. O Greenpeace realiza a ação para expor três crimes graves relacionados à produção de ferro gusa no Brasil: trabalho escravo, desmatamento e invasão de terras indígenas.
Foto: © GREENPEACE/Marizilda Cruppe/EVE.
 - Em São Luís. 


A Frase da semana: 

“O que me faz querer estar aqui é divulgar a campanha do desmatamento zero, fazer as pessoas entenderem o trabalho do Greenpeace. Fazer com que as pessoas saiam de sua zona de conforto e se movam em prol de alguma causa”.

Leonor Cristina Souza

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Giro da Semana - O Meio Ambiente em Pauta (6º Edição)

Camila Pitanga pede "Veta, Dilma!" em cerimônia oficial

A atriz Camila Pitanga quebrou o protocolo de uma cerimônia oficial ao pedir à presidente Dilma Rousseff que vete a versão do novo Código Florestal aprovada pela Câmara dos Deputados. Camila foi a mestre de cerimônias do evento que concedeu, nesta sexta-feira (4), o título de doutor honoris causa das universidades públicas fluminenses ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Veja o vídeo > Aqui

O ISA começa a publicar a partir de hoje uma série de reportagens sobre os aspectos mais graves da proposta de revogação do Código Florestal aprovada pela Câmara. Nesta primeira reportagem, trataremos de um importante capital natural ameaçado pela mudança da lei: as APPs, o principal dispositivo de proteção ambiental das águas, da produção agropecuária e de áreas vulneráveis no País. Leia Mais >

Levantamento do governo comprovou que, se Código Florestal tivesse sido respeitado, tragédia teria sido menor. Na imagem, linha tracejada da APP que deveria ter sido respeitada em Teresópolis


A segunda reportagem da série publicada pelo ISA sobre os pontos mais polêmicos da revogação do Código Florestal, aprovada pela Câmara no final do mês passado, mostra como a proposta ameaça projetos de recuperação florestal espalhados pelo País. A anistia a quem desmatou ilegalmente e a redução drástica de áreas protegidas em propriedades rurais previstas na nova lei tende a desestimular os produtores rurais que participam dessas ações Leia Mais >

A bordo do RW, Atanagildo de Jesus, presidente do CNS no Pará,
declara apoio à lei de iniciativa popular pelo Desmatamento Zero.
 (©Greenpeace/Marizilda Cruppe/EVE)
Extrativistas do Pará contra o desmatamento

A bordo no navio Rainbow Warrior, representantes de Reservas Extrativistas Marinhas do Estado do Pará, que fazem parte do CNS (Conselho Nacional das Populações Extrativistas), vieram a Belém para mostrar seu apoio à campanha do Desmatamento Zero. Na reunião, o Greenpeace apontou caminhos para ajudar os extrativistas a levarem suas demandas à Conferência Rio+20. Leia Mais >


Vídeo mostra o que está por trás da reforma do Código Florestal
“De onde vem a força do agronegócio?” mostra, de maneira didática, quem ganha e quem perde na estruturação e financiamento do agronegócio brasileiro. O vídeo foi lançado na quarta-feira (29/2) durante café-da-manhã da Frente Parlamentar Ambientalista, na Câmara dos Deputados. Leia Mais >

Madeira que a lei não vê

A bordo do navio Rainbow Warrior, atracado em Belém (PA), uma amostra de tora coletada em uma área quilombola no município de Gurupá foi entregue ao Procurador Federal da República, Ubiratan Cazzetta, que se comprometeu a abrir uma auditoria para analisar as condições em que o plano de manejo está sendo explorado. Há cerca de um mês, o Greenpeace foi até a área e encontrou indícios de que a retirada de madeira estaria sendo feita de maneira predatória. Leia Mais > 


Microsoft promete limpar a nuvem
A Microsoft anunciou ontem sua nova política de carbono afirmando que a partir de julho deste ano seus datacenters e as instalações de seus escritórios estarão livres de emissões de carbono. “A promessa feita pela Microsoft é um bom primeiro passo que mostra que a empresa escuta os pedidos de seus clientes que querem uma nuvem limpa”, afirma Gary Cook, analista sênior de Políticas do Greenpeace Internacional.
Ativistas do Greenpeace pedem em Israel que a Microsoft pare de utilizar energias sujas em seus datacenters. (©Dor Nevo/Greenpeace)



Veja o que foi notícia nos blogs do G8 esta semana (Grupo de Voluntários do Greenpeace no Brasil):

Green Rio
A Imagem da Semana
Ativistas da ONG ambiental Greenpeace projetaram feixes de laser sobre as torres do Congresso Nacional nesta terça-feira (8) para protestar contra o novo Código Florestal, aprovado no final de abril abril pela Câmara dos Deputados. A proposta está sob análise do Executivo, que tem até o dia 25 de maio para sancionar o texto, com ou sem vetos. Ministros já adiantaram que a presidente Dilma Rousseff deve cortar trechos que anistiem desmatadores e que prejudiquem pequenos produtores rurais. (Foto: Evaristo Sá/AFP Photo)

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A Bordo do Rainbow Warrior IIII - Uma Experiência Inesquecível


Texto de Heberton Júnior

Open Boat em Belém/PA 
Gandhi disse uma vez que ‘só engrandeceremos nosso direito à vida, cumprindo o nosso dever de cidadãos’. Como ele, acredito que o engajamento das pessoas e sua contribuição efetiva é a única maneira de mudar o mundo em que vivemos. Quando nos unimos como responsáveis e cidadãos ativos pelos problemas comuns, nossa voz torna-se mais forte.

Atitudes individuais pode fazer uma grande diferença para o futuro do planeta e é também juntos que podemos enfrentar os problemas e promover soluções. Este é o maior aprendizado que levarei comigo depois de quase dez dias de trabalho voluntário com o Greenpeace em Macapá/AP e Belém/PA.

Juntamente com demais voluntários do Brasil, eu e a voluntária Amanda embarcamos em Porto Alegre no dia 26 de abril para trabalhar no Open Boat do Wainbow Warrior III em Macapá (quando o navio atraca em algum porto para visitação pública). A receptividade e acolhida do estado com a maior área de floresta preservada do Brasil nos surpreendeu de imediato. Porém, a melhor lembrança de Macapá será a admiração dos visitantes pelo mais novo Guerreiro dos Mares e pelo Greenpeace, muitos querendo inclusive tornarem-se voluntários.

Preparação para receber o público visitante ao RW III 
Depois de dois dias, partimos para Belém/PA trabalhar na divulgação do próximo Open Boat que ocorreu na cidade nos dias 05 e 06 de maio enquanto o Rainbow Warrior e sua tripulação continuavam com a campanha do Desmatamento Zero pela Amazônia. Formando um time unido, juntamente com dois voluntários de Manaus e um de Brasília, marcamos presença em praças, pontos turísticos, parques e universidades convidando as pessoas para subirem a bordo do navio do Greenpeace.

Aproximando-se dos dias do Open Boat em Belém, o time foi reforçado por voluntários de todo o Brasil que foram convocados para o trabalho; a cada novo grupo que chegava era uma festa, apresentações e conversas sobre as expectativas de cada um. Sem dúvida, essa troca de experiências entre diferentes voluntários do Brasil é uma forma de fortalecer todo o grupo.

A sexta-feira (04/maio) foi de muito trabalho, dedicada para montar toda a estrutura para receber os visitantes, que compareceram em peso no sábado e domingo. Os voluntários e a tripulação do navio revezaram-se em várias atividades como atender e organizar a fila, pintura de rostos, explicações sobre a campanha do Desmatamento Zero e coleta de assinaturas, além de guiar e mostrar as principais áreas do navio (convés, sala de conferências, ponte de comando e proa).

Heberton Júnior em uma pequena palestra aos visitantes do RW III
A energia para trabalhar por várias horas seguidas vinha da sensação de estar contribuindo por uma causa, difundindo uma mensagem de paz e de um mundo mais justo e equilibrado para mais de 2000 pessoas que visitaram o navio. Um grande sentimento de gratidão nos motivava ainda mais quando víamos pessoas com mais de 80 anos, crianças e até com necessidades especiais fazendo um esforço enorme para estar no “território sagrado da paz” que é o navio do Greenpeace e ainda nos agradecer e parabenizar pelo que estávamos fazendo.

Em alguns outros momentos eu já comentei que o trabalho voluntário é um vício do bem. Acredito ainda mais que a força do bem é maior quando estamos juntos em um mesmo ideal! E como já disse o Herói das Florestas pela ONU Paulo Adário, ‘mais do que salvando o mundo no Greenpeace, estou salvando a mim mesmo’. Volto para casa, engrandecido com mais essa experiência e agradecendo a todos que a tornaram inesquecível, repito que o trabalho voluntário é um vício do bem; jamais quero me curar disso!


Heberton Júnor  "o trabalho voluntário é um vício do bem;
jamais quero me curar disso!"



sexta-feira, 4 de maio de 2012

Giro da Semana - O Meio Ambiente em Pauta (5º Edição)

O tema predominante da semana, como não poderia deixar de ser, foi a discussão sobre o novo Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados. Além é claro, o jogo de braços entre Ambientalistas x ruralistas e a campanha "Veta, Dilma" que invadiu as redes sociais. 

Trabalho redobrado para os voluntários de todos os grupos do Greenpeace no Brasil que agora precisam incentivar seus amigos e familiares a assinarem a petição da lei do Desmatamento Zero e compartilharem em suas redes sociais a campanha:  #VetaDilma e #VetaTudoDilma. Vamos derrubar este Código Florestal e mostrar para o congresso que é possível um Brasil verde e sustentável!


É isso ai, gurizada verde: Mãos à obra! 




Veja abaixo o que rolou nas redes sociais sobre meio ambiente na última semana.  


Boa leitura! 


Planeta não é sustentável sem controle do consumo e população, diz relatório da Royal Society
O consumo excessivo em países ricos e o rápido crescimento populacional nos países mais pobres precisam ser controlados para que a humanidade possa viver de forma sustentável.
A conclusão é de um estudo [People and the Planet] de dois anos de um grupo de especialistas coordenados pela Royal Society (associação britânica de cientistas).
Entre as recomendações dos cientistas estão dar a todas as mulheres o acesso a planejamento familiar, deixar de usar o Produto Interno Bruto (PIB) como um indicativo de saúde econômica e reduzir o desperdício de comida.
O relatório da Royal Society será um dos referenciais para as discussões da Rio+20, cúpula que acontecerá na capital fluminense em junho próximo. Leia Mais >


Economia verde: preservar o planeta pode dar lucro
"Algumas pessoas dizem que a economia verde tem essa cor por causa do dólar", afirma, em tom de brincadeira, o embaixador André Aranha Corrêa do Lago. O negociador chefe do Brasil para a Rio+20 se permite zombar dos radicalismos, mas admite que o tema central da conferência da ONU, que ocorre entre 16 e 22 de junho no Rio, ainda carece de definições. Fora a referência óbvia às causas ambientais, o verde, nesse caso, representa o que não é “marrom”, como é chamado o modelo que domina a maior parte das atividades econômicas, em que o avanço de empresas e governos implica em um alto custo para a natureza e a qualidade de vida do homem. O modelo almejado é aquele em que o uso dos recursos do planeta se dá de forma sustentável, sem riscos a espécies e ecossistemas, mas também sem inviabilizar o avanço dos negócios e o bem-estar. Leia Mais >



Código Florestal atropela Rio+20. E agora Dilma?

Representantes da WWF e do Greenpeace disseram que o Brasil sempre foi visto como um dos países mais ativos na promoção de ideias ambientais em fóruns internacionais, como as reuniões sobre mudanças climáticas da ONU. Mas, a aprovação do texto do deputado Paulo Piau (PMDB-MG) pode provocar uma mudança nessa percepção. “É um choque estarem alterando o Código Florestal que protege a floresta amazônica. Com a proximidade da Rio+20, isso bota muita pressão sobre a presidente Dilma Rousseff. Será muito difícil para ela se apresentar como defensora do ambiente”, disse Sarah Shoraka, ativista especialista em florestas do Greenpeace do Reino Unido. Leia Mais >

Exemplos de uma Amazônia que funciona

O Rainbow Warrior foi até o Estado do Amapá para mostrar que existem alternativas bem sucedidas de economia florestal. O arquipélago de Bailique, um distrito de Macapá, foi o lugar escolhido para a tripulação do navio conhecer a Amazônia que dá certo. Na ilha mais habitada e melhor estruturada da região, a Vila Progresso, encontramos iniciativas sustentáveis que saltam aos olhos. Leia Mais >

Shell avança sobre o Ártico
Em uma nova tentativa de convencer a multinacional Shell a abandonar seus planos de exploração no Ártico –região que abriga um ecossistema sensível e já ameaçado pelo aumento das temperaturas globais–, ativistas do Greenpeace bloquearam ontem, em Helsinque (Finlândia), um navio quebra-gelo a serviço da empresa e que estava prestes a partir para o Alasca como apoio às operações de perfuração de petróleo. Leia Mais >


Ativistas do Greenpeace ocuparam em Helsinque (Finlândia) um navio quebra-gelo contratado pela Shell para a exploração de petróleo no Ártico (©Greenpeace / Patrik Rastenberger)



Treze razões para o veto total ao PL 1876/99 do Código Florestal
Este texto reflete exame minucioso do Projeto de Lei 1876/99, revisado pela Câmara dos Deputados na semana passada, à luz dos compromissos da Presidenta Dilma Rousseff assumidos em sua campanha nas eleições de 2010.Para cumprir seu compromisso de campanha e não permitir incentivos a mais desmatamentos, redução de área de preservação e anistia a crimes ambientais, a Presidenta Dilma terá que reverter ou recuperar, no mínimo, os dispositivos identificados abaixo. No entanto, a maioria dos dispositivos é irreversível ou irrecuperável por meio de veto parcial. Leia Mais >
Texto de Paulo Adario para o Jornal O Globo edição de 30.04.12


A frase da semana:

"Se a presidente Dilma vetasse, seria o ideal. Do jeito que está, ficou esdrúxulo, ficou uma mesa cambeta" 
Paulo Piau (PMDB/MG) relator do novo Código Florestal 


A Foto da Semana:
Voluntários do Grupo de Porto Alegre a Bordo do RW III



Infelizmente os demais grupos de voluntários do Greenpeace não atualizaram seus respectivos blogs e, por este motivo, não temos notícias dos grupos nesta edição.